Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

sábado, 3 de janeiro de 2015

A Minha Luta


Eu quero lutar contra o tempo,
numa derrota já anunciada.
Em posição vertical sempre estarei,
tentando resistir sem lamento,
no percurso final da estrada,
de pé, como as árvores, ficarei!

Meu velho coração, tão teimoso.
Sempre amando -  é um lutador!
Jamais reconhece outro sentido:
aquele que se afirma tão poderoso:
pela vida, pelo bem, pelo amor,
tudo que de bom tem repartido.

Estarei SÓ, sem qualquer remorso.
Repetiria o que na vida pratiquei,
como homem e humano eu vivi:
em cavalo branco, montei no dorso.
Em tudo, e nas fantasias  que criei:
porque viver é isso – para além de si.


A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores