Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

sexta-feira, 16 de janeiro de 2015

OUTONO

Folhas soltas, cor de cobre
No chão varridas pelo vento
Retalhos de esperanças caídas
Galhos de ilusões em tormento
Premonições em mim sentidas
Outono -  em tudo sou pobre!

No teu corpo me aconchego
Em teu abraço me conforto
Do teu  consolo vou vivendo
Recordações? - o meu sossego
No teu peito, em bom porto
Saudades de mim vou tendo






Nov.2012

A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores