Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

FANTASIAS - por Hélder Gonçalves






FANTASIAS

Nos ébrios momentos do meu cansaço
Na lassidão do meu corpo rechaçado
Visão eufórica em distorcido sentimento
Rasgada alegria num falso curtimento
Tudo emerge nos olhos em cores garridas
De páginas voltadas há pouco sofridas
Das solidões em voluptuoso amarfanhar
Desesperanças melífluas no meu sonhar

Momentos de plena e doce ilusão
Em que tudo se permite na confusão
Idílicos e fugidios amores que consolam
Enganam, demais, na verdade que violam
Mas benditos em ludibriar tal tormento
Fantasias que espantam pelo sentimento
 Estático - Aconchego em reluzente copo
Fantasias - A realidade está e  não acordo!

Hélder Gonçalves

Agosto 2016

A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores