Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

domingo, 28 de agosto de 2016

O NOVO HOMEM - por Hélder Gonçalves








                                      No fim da grande escuridão, no princípio de tudo
Brancas manhãs, onde agora as aves livres voam
Nasce novo Homem - Ciclo que sempre se repete
Genuíno, em nudez, forte e inteligente sobretudo,
Organizando-se em clãs - Por determinismo povoam
Sobre todos -  Força cósmica, assim os remete!
,                                                                    
Nascerá, outro Homem -  Depois do zero e do nada
Cataclismos havidos no planeta azul, na Mãe Terra
Guerras havidas - Por elas, o Homem foi exterminado
O Fim do Mundo - A extinção da espécie perpetuada.
Horrores passados, dores que, tal catástrofe, encerra
Para tudo, no fim voltar, novamente, a ser renovado

A História assim se repete –  Em determinismo Cósmico
Novo Homem nascerá, para nova caminhada incumbida
Pelas forças Universais -  Expansões, espaços aleatórios:
Lógica matemática, quântica, equações do mundo atómico
Inteligência viva -  Em grandiosa harmonia assim concebida
Então, o Homem sendo Deus, reinará sem persecutórios!


https://images-blogger-opensocial.googleusercontent.com/gadgets/proxy?url=http%3A%2F%2F4.bp.blogspot.com%2F-v-v9uTshsFc%2FU7VRqWK0JJI%2FAAAAAAAAGQc%2FjrqJ0sgcRoU%2Fs1600%2Fassinatura%2B(1).png&container=blogger&gadget=a&rewriteMime=image%2F*

A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores