DICOTOMIAS

MEMÓRIAS, CONTOS E POESIA

terça-feira, 26 de setembro de 2017

FADO por Hélder Gonçalves

                        






Há silêncios que são gritos
Dentro de mim alguns existem
Fazem parte dos meus botões
Fantasmas e outros conflitos
Alguns tormentos persistem
Deixam a alma em convulsões

Queria adormecer – Não pensar
Este maldito alerta do meu viver
Da procura constante do porquê
Do Norte e da escolha onde ficar
Das esperanças que poderei ter
De seres tu para mim e não você?

Ficar esquecido no teu colo
Em calmas caricias e afagos
Subtis palavras no segredar
Em tudo isso eu sonho e isolo
Mas, a vida, é o nosso fado
Verbo amar e fel no amargar!





A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores