Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

quinta-feira, 3 de julho de 2014

O Homem Novo

Destaque de Silvia Mota - Peapaz



No fim da grande escuridão, no principio de tudo
brancas manhãs, onde agora as aves livres  voam
Nasce novo homem,  ciclo que também se  repete
Genuino, em nudez, forte e inteligente sobretudo,
organizando-se em clãs, por determinismo povoam
Sobre todos, para o futuro, força cósmica os remete!
,
Nascerá, outro Homem -  depois do zero e do nada
 Dos cataclismos havidos,planeta azul, na mãe terra
 guerras havidas - por elas, o Homem foi exterminado
 O Fim do Mundo - a extinção da espécie perpetuada.
 Horrores passados, dores que, tal catástrofe,  encerra
Para tudo, no fim, voltar de novo para  ser questionado

A Hitória  assim se repete –  em determinismo Cósmico
Novo Homem nascerá, para nova caminhada incumbida.
Das forças Universais -  expansões, caminhos aleatórios:
lógica matemática,  até à  fórmula ,no campo do atómico
Inteligencia viva -  em grandiosa harmonia nele concebida
O Homem, sendo  Deus, reinará  sem persecutórios !


A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores