Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

sexta-feira, 30 de janeiro de 2015

A Cápsula do Tempo - por Hélder Gonçalves





Na cápsula do tempo
Onde sobrevivo:
Arquivado, sem luta
Parado, sem lamento
Comigo convivo
Sem maestro, nem batuta!

Na cápsula do Tempo
Espreito pela janela
A vida rodar dia a dia
Longe estou, vou vivendo
Do mundo gasto em querelas
Mesmo tempo eu percorria

Na cápsula do tempo
Sobrevivo só – com saudade
Dos amigos que vão partindo
Da vigia espreito – estou vendo
O mundo afastar-se: a realidade
Conformismo profundo e infindo

Na cápsula do tempo
Que da terra mais se afasta
Me deixa melhor enxergar
O mundo lá longe correndo
Tempo fútil que se gasta
Contendas inúteis a sangrar

Na cápsula do tempo
Então, confesso, prefiro estar
Sobrevivendo sem companhia
Meus sonhos vou percorrendo
De amores, sem poder amar
Vãs Esperanças de algum Dia!

Na Cápsula do tempo, sigo sem parar




Docarmo
Jan-2014





A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores