Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

quinta-feira, 24 de março de 2016

A Flor do Meu Jardim - por Hélder Gonçalves





Olho para além  da janela,
A chuva cai de mansinho sem doer
Gritos  em contido silêncio.
Perto de mim, vejo a flor singela
Será que ela entende meu sofrer?
Porque será que assim penso?

Em solidão, míngua do teu afeto,
Procuro-te em sobressalto,
Na página vazia do meu ser,
Escrita está, em rebuscado dialeto
Nossa história de amor - Tão alto,
 Que queríamos e não podemos ter

Olho para além da janela
Já não vejo a chuva  cair.
Mas teu vulto junto da flor,
Que plantaste -  Bem perto dela,
Agora, teimosa, continua a florir,
Testemunho vivo do teu amor!


Hélder Gonçalves




A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores