Dicotomias

Memórias, contos & Poesia

sexta-feira, 7 de julho de 2017

EU QUERIA TER








Eu queria ter a força do vento.
O Rugir do leão.
A energia que está dentro
Solta pelo vulcão.
Pela boca deitar fogo,
Tal como o Dragão!
Tormenta do mar em movimento

Eu queria ter:
Sim, eu queria ter tal força louca,
Utiliza-la com saber.
Gaélicas espadas bramindo, correndo
Com a raiva no meu ser:
Rechaçando mas nunca coisa pouca
Grandes injustiças, por aí haver:
Tantas se espalham – Num mundo sofrendo!

Eu queria ter:
A força homérica na palavra
Acutilante no Poema - Tão forte
Tal como uma arma engatilhada
Apontada à desumanidade e desnorte
Na consciência ficar perpetuada
Pedra filosofal – Da Vida e da Morte
Sabedoria, Justiça em eterna Paz consumada

Sim!

Eu queria a leveza de uma pena.
Voar como aquela ave -
Olhar o pôr-do-Sol em serena meditação,
Poder ouvir um som suave,
Cântico gregoriano – O Amor como dilema:
Tal harmonia – Quem sabe?
A vontade de acreditar voltasse ao coração.

Eu queria ter …

                     






A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores