DICOTOMIAS

MEMÓRIAS, CONTOS E POESIA

segunda-feira, 31 de março de 2014

Neste Dia de Inverno - Por Hélder Gonçalves




Foto Google

POEMA

Ah - se todos soubessem,
o porquê
da minha rebeldia,
do meu tormento


Desta ansiedade,
tal como este dia -
de mil invernos.
Destapado – ao vento,
que seca, sem piedade,
a minha alma,
num jeito de lamento,
de folhas retorcidas,
arrastadas no chão.
Caídas, envelhecidas
Juntas,separadas, esquecidas,
empurradas no turbilhão.
Ah - se todos soubessem,
aquilo que me impele
De te ferir, de te julgar-
sem sentido rasgar tua pele
e, assim, poder chegar
melhor, tua alma espreitar,
Para querer perdoar,
aquilo que não existe,
para  tal  justificar.
Este anseio que persiste
Irracional e doloroso
De te querer magoar,
como jogo de roleta russa,
em duelo de vida e morte
num preito pouco honroso
E me deixa em tal desnorte:
Ah, se todos soubessem!


Hélder Gonçalves  Nov-2012

A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores