DICOTOMIAS

MEMÓRIAS, CONTOS E POESIA

terça-feira, 3 de junho de 2014

As rugas do meu rosto - Por Hélder Gonçalves





Junto ao mar, naquele dia, para mim olhaste:
viste um rosto já enrugado e envelhecido.
Com ternura pegaste na minha mão, acariciaste.
Em silencio adivinhei, pelo teu ar enternecido,
as palavras que dirias mas, por amizade, calaste.

Não lastimes, nem pena, por tanto tempo vivido.
Pela estrada da vida com experiência que baste,
em mim, o amor sem paixão melhor será sentido,
numa apoteose de ternura, amizade sem desgaste
Feliz estarei em fugaz desfrute, ao estar contigo!



Março 2012

A Sala do Tempo Parado

A Sala do Tempo Parado
Só quem não viveu não tem histórias para contar

Seguidores